Teoria dos Setênios: Os ciclos de mudança e transformação da vida

7 Shares
0
0
7

Que a vida é feita de ciclos, todos nós já sabemos, mas o filósofo Rudolf Steiner responsável por idealizar a antroposofia (ciência espiritual ou conhecimento do ser humano, que se apresenta como um caminho em busca da verdade) foi um pouco mais a fundo nesse tema e desenvolveu a Teoria dos Setênios. Teoria essa que defende que a nossa vida é formada por ciclos de 7 anos, onde passamos por tranformações significativas que nos ensinam e nos preparam para o ciclo seguinte.

O número 7 é muito simbólico para diversas culturas e muita coisa no mundo é representada por esse número, como as sete cores do arco íris, os sete pecados capitais e as 7 maravilhas do mundo por exemplo. Pensando nisso, Steiner ao analisar situações pelas quais a maioria das pessoas passam, concluiu que cada ciclo tem duração de 7 anos e em cada um deles vivemos novas experiências, as reconhecemos, nos adaptamos a elas, e desenvolvemos habilidades que nos preparam para o ciclo seguinte e assim surgiu a teoria dos setênios.

Teoria dos Setênios

Após entender que cada ciclo da vida tem 7 anos de duração, o filófoso os nomeou e detalhou o que podemos esperar de cada um para que assim possamos vive-los com mais plenitude e consicência das mudanças que eles trazem. A teoria dos setênios tem 9 ciclos e é dividida em 3 fases com foco no corpo, na mente e no espírito.

Conhecendo cada Setênio

1º fase: Amadurecimento do corpo – Tempo de aprender

0 a 7 anos – O ninho: Aqui o indivíduo começa o contato com a vida, ele começa a se descobrir como ser humano, sua personalidade começa a ser moldada de acordo com o ambiente que vive e a liberdade para vivenciar e descobrir o mundo é extramente importante, pois isso é o que lhe dará informação para viver os próximos ciclos.

7 a 14 anos – noção de pertencimento e processo de autoafirmação: Nesse setênio a criança começa a descobrir seu corpo e sensações, começa a ter percepção de suas emoções. Aqui é onde as regras e cobranças começam a ter um peso maior, é onde as influências são muito significativas e o ser se torna consciente de que suas expeiências são únicas.

14 a 21 anos – A primeira crise de identidade: Aqui chegamos na adolescênicia onde iniciam as crises de identidade, pois inicia a busca pela individualidade, todos querem ser vistos e ouvidos. Nessa fase começa o distanciamento da família, os sentimentos são exagerados, há uma necessidade de se sentir o protagonista da vida.

Setênios em detalhes

2º fase: Amadurecimento Psíquico – Tempo de expandir

21 a 28 – o “eu” : Nesse ciclo a pressão externa faz com que a busca pela autoafirmação seja intensa. O objetivo é a busca pela estabilidade emocional e profissional para conquistar a tão sonhada liberdade. É neste setênio que as crises emocionais são mais intensas, tornando esse ciclo extremamente desafiador.

28 a 35 – As crises existenciais: Aqui se inicia o que chamamos de crise dos 30. É o fim da juventude e a entrada na maturidade, é muito comum começar a repensar a vida neste ciclo, a busca pelo equilíbrio se torna fundamental para passar por essa fase. O mais importante neste setênio é saber organizar os aprendizados dos ciclos anteriores para amadurecer com mais leveza e a mente aberta para o que está por vir.

35 a 42 – A crise de autenticidade: Esse setênio é marcado por momentos de muita reflexão sobre tudo já construído. Aqui o sentimento é de busca pelo sentido da vida, o desejo é de somar ao mundo e deixar um legado. É neste ciclo também que estamos mais abertos a aprender coisas novas, e se apresenta um sentimento de fuga da rotina para viver o novo e não se sentir entrando na estagnação.

3º fase: Amadurecimento Espiritual – Tempo de se tornar sábio

42 a 49 – O altruísmo fala alto: A idade nesse ciclo começa a assustar. As contradições se intensificam, ao mesmo tempo que se sabe o que é preciso ser feito para mudar as coisas, também surge o receio de tomar a atitude, é preciso ter atenção para não se afundar na zona de conforto. A melancolia e a nostalgia tomam conta neste período.

49 a 56 – Aceitar é melhor: O indivíduo aprende a ouvir o mundo exterior, já tem consciência de quem é e onde está.  Ao chegar nesse setênio inicia a busca por se sentir útil e capaz.  Nessa fase , fazer parte de algo maior e engajar em alguma causa se torna o propósito para contribuir para um mundo melhor.

56 a 63 e adiante… – Não estagnar é a lei: Nesse setênio o peso da idade começa a se intensificar por isso os cuidados com a saúde fisíca e mental se tornam indispensáveis. Aqui é o momento em que a estagnação pode chegar intensamente, por isso é importante se manter ativo e com foco em um vida mais quilibrada. É a fase de passar as lições aprendidas adiante, para ajudar os que estão nos ciclos anteriores, mas também pode ser momento de viver os sonhos adiados.

Após os 63 anos a vida continua, mas os ciclos intensos de mudanças finalmente se findam. É como se chegassemos em um momento mais calmo, com menos transformações e mais tempo para finalmente apreciar a vida seguro de quem se é.

A imagem abaixo descreve um pouco dos ciclos e mostra como o passar dos anos nos faz ter mais contato com nossa essência espiritual.

Teoria dos Setênios

A Teoria dos Setênios não tem como objetivo revelar o sentido da vida, mas é um norte para todos aqueles que sentem intensamente os ciclos de transformação. É uma forma de nos fazer conscientes de que cada ciclo traz um aprendizado e que não estamos sozinhos nas nossas crises existênciais, pois elas existem para todos.

7 Shares
1 comment
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like